segunda-feira, 7 de novembro de 2011

BEM VINDOS POETAS: GERALDO CÂMARA, DIONYSIO DE PAULO, HERNANDES LEÃO E LÚCIA NARBOT


Geraldo Maia Câmara-* Geraldo é Secretário da Academia Alagoana de Cultura. = Diretor Cultural da Associação Alagoana de Imprensa. =Comendador.=Psicólogo Clínico.Diplomado pela ADESG- Associação dos Diplomados pela Escola Superior de Guerra . Viagens de estudos e pesquisas (1980 - 1987-1991- 1992- 1997), com documentários,


gravados em vídeos, nos seguintes países: Portugal, Vaticano, Luxemburgo, Holanda,Inglaterra, Venezuela, Estados Unidos.Itália, Espanha, França, Bélgica, Suíça,

Alemanha, Grécia, Egito, Síria, Líbano, Turquia, Jordânia, Iugoslávia, Israel. Residência em Lisboa (1980), Jerusalém e Belém de Judá (1991/1992).Publicação (agosto de 2009) pela Editora Clube de Autores do livro de poemas “VIDA EM VIA.”
 
Reencontro Festivo




Hoje revi meu amor, com alegria,



como nunca houvera visto antes.



Sua presença me alimenta e reanima.



Em seus olhos fito está o meu olhar



e fico a pensar nos tempos idos,



recordações e frutos do amor,



no passado menos forte,



no presente mais sentido.



Na hora da separação



nós nos completamos ,



porquanto, viva está nossa união.



Olho, com ternura,



sua boca, suas mãos,



seus braços, seus cabelos,



seu olhar,seu corpo, inteiro,



que me faz sonhar.



E fico a esperar:



venha de novo para sermos um



na, mais perfeita, união de um par.
 
Geraldo Câmara
 
 
 
 
 
 Ivan Dionysio de Paulo –* Rio de Janeiro-RJ 1967  Dionysio é escritor de coração." Não são apenas palavras que deixamos sobre as linhas, mas são frases! Frases que as vezes espantam, pois quando arrumadas falam profundamente e provocam emoções." Livros: Coletânea Poesia e Encontro Ed. Iluminatta Outubro de 2011.
 
Mudança de comportamento




hoje!?



Acho que vou ficar (...)



No tempo



Ao ar livre



Só para ver você chegar!!



Com paixões e com pegadas



Que colam o corpo na chuva



Me deixe beber no seu copo?



Quero descobrir teus segredos



Por mais que montanhas rodeie



desertos



Há sempre um pequeno oasis



Esquece a nossa idade



A multidão das cidades!!



Há sempre um sol



de verdade

 Dionysio de Paulo


Hernandes Alberto da Silva ( Hernandes Leão)-*                      Hernandes é funcionário público ,escritor e poeta. Participa de outros sites literários. Livros: Coletânea " Poesia e Encontro" pela Ed. Iluminatta outubro 2011. Casado, tem um enteado e dua filhas. Formou-se em Jornalismo pela UNIUBE ( Universidade de Uberaba). Hernandes gosta de curtir a Família, Literatura e Cinema.

O DOCE DOM DE SER CRIANÇA




Oh! Como é bom ser Criança...

Viver sem preocupações, sem tentações

Viver e viver intensamente

Ser o símbolo da esperança

Ser a causa constante das motivações

E ter a vida inteira pela frente...



Quando criança, imaginava um mundo melhor

Cheio de belezas constantes

Desprovido de injustiças e podridão

Até as cores pareciam ser mais vivas, não existia o pior!

Ah! Como é boa a inocência, e suas variantes...

A todo momento, quando caia, alguém estendia a mão



Não conseguia, enxergar a luxúria desenfreada



Muito menos, a dolorosa malícia

Ataúdes definitivos, da infância e juventude

Mas por outro lado, para o adulto é o portal de entrada

Quando criança achava que o mundo... era, só delícia!

Que era, só satisfação, e ausência de maldade



Enganara-me, sobre a visão do porvir e suas vicissitudes

Mas a visão da criança, inspira ainda hoje, o que seremos...

Impulsiona-nos à uma busca pessoal

Sobre nossas fantasias, e suas magnitudes

Sobre a reflexão do que nós colheremos...

Pois o cultivo das qualidades, é essencial



Mesmo se tinha uma visão equivocada da vida

Não me arrependo; o que importa é o caminho

O trajeto e a jornada das experiências...

A oportunidade, de socorrer a ferida

Garantindo assim, a boa escrita do celeste pergaminho

E garantir o sucesso das vivências



Ser criança, é ser a esperança da humanidade

É carregar a chama constante da felicidade!

É viver somente exalando a bondade

Mesmo que de forma contraproducente

Mesmo que não consiga, erigir a nobreza da mente

E executar ações falhas pela frente...



Vai ter valido a pena ser um petiz

Um ser pequenino no tamanho

Mas um ser gigantesco na Alma

Para ser Mestre, antes tem que ser um aprendiz

Na infância não existe perda, somente ganho...

Já que o Espírito, vive só em calma



Queria só mais uma vez... ter essa confiança

Sentir segurança, nas mãos dos condutores

Olhar pra cima, e ver o desenho das nuvens

Ter o poder natural, e não viver só na lembrança

Sentir a presença do anjo da guarda; não sentir dores...

As crianças são a misericórdia dos homens!...



Criança... és mesmo, a perfeição Divina!

O desejo mais evidente da redenção

O Dom exequível e sublime da oportunidade

Criança, tem a benevolência, és sua mina!

É a recíproca do aprendizado e evolução

Enfim, é a extrema força, aparentando fragilidade...



Sem as crianças, não mais haveria o mundo

Criança é o pleno exercício da criação!



São os salvadores do destino...

Sem elas, o homem seria somente um moribundo

Para nós, elas deveriam ser a salvação!

Basta observar, sua conduta; aí, o ser, é um mero peregrino!...



Hernandes Leão
 
 



 Lúcia Edwiges Narbot Ermetice-*  São Paulo -SP 11/12/1944.       Lúcia é médica,formada em 1969, pela em 1969, pela Unicamp (2a. turma de Medicina). Especialidade: Dermatologia.Casada , duas filhas. Escreve, como amadora, desde a adolescência. Ao completar 60 anos,seu marido e filhas a presentearam com uma pequena tiragem de um livro com poemas escritos da adolescência até os 60 anos, para que eu os distribuísse como lembrança aos amigos; o livro se chama" Versos ao Longo do Caminho"." A partir daí perdi a vergonha e deixei de esconder meus escritos", dia a Poeta. Descobriu a internet e tem enviado poemas e crônicas para algunssites, como Recanto das Letras, Escrita, Omelhordaweb. Escrevoe de forma não regular, mas muitas vezes, escrever se torna tão necessário quanto respirar.
 
Poesia







Escondida atrás da porta






a espreitar-me furtiva,






ora aparece, ora some,






provoca-me e logo se esquiva,






acena-me num gracejo,






sussurra-me numa brisa,






transporta-se com o vento,






fugaz, falaz, inconstante






se apossa do pensamento






e em seguida, distante,






transforma-se num arpejo






que se perde num instante.






Em vão busco o reencontro;






foi-se leve como um sonho






descansar noutras paragens






no rastro da fantasia,






em mim só deixando imagens






doces, ternas, tristes, vãs:






fugiu de novo a poesia.






Lúcia Edwiges Narbot Ermetice
 
 
*POETAS SEJAM MUITO BEM VINDOS !!! RECEBAM O CARINHO DE TODOS NÓS QUE FAZEMOS O PORTAL DO POETA BRASILEIRO!!!
 
ALINE ROMARIZ

9 comentários:

  1. Parabéns a todos!!! Sejam Bem vindos!!!!! Beijos e meu carinho, Aninha

    ResponderExcluir
  2. ARLETE TRENTINI DOS SANTOS7 de novembro de 2011 17:45

    ESTE PORTAL É GRANDIOSO E ESTÁ SEMPRE DE CORAÇÃO ABERTO RECEBENDO NOVOS POETAS.SEJAM BEM VINDOS.
    ABRAÇOS CATARINENSES DA ARLETE E DO BRIDON

    ResponderExcluir
  3. Salve, salve, poetas! Sejam bem vindos. Abraços
    A. J. Cardiais

    ResponderExcluir
  4. Sejam bem bem vindos ao nosso portal,
    com carinho, com muitas poesias e etc e tal...

    Poetisa Silvia Trevisani
    http://escritorasilviatrevisani.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Sejam bem-vindos à Casa do Poeta Brasileiro, a nossa casa!

    ResponderExcluir
  6. Sejam bem vindos a esse nosso espaço:Portal dos Poetas Brasileiros". Grande abraço a todos os novos membros.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, estou maravilhada, realmente espetacular, lindas e sábias palavras Hernandes Leão, Parabéns pelo sucesso e siga em frente, está no caminho certo meu querido! Abraços

    ResponderExcluir

O PORTAL DO POETA BRASILEIRO AGRADECE SEU COMENTÁRIO!