segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Senhora de mim.

Esqueça tudo que falei... Apenas sonhei um sonho sozinha... Tirei os pés do chão... Voei na covardia do outro. Fiz um voo conturbado, arremeti... Aterrizei.Voltei ao chão.E os meus pés bem fincados preferem assim: eu senhora de mim, livre dos voos imposíveis e dos desejos camuflados.

Aline Romariz

7 comentários:

  1. Bom acordar te lendo.Você é sua senhora e mulher de sonhos realizáveis... O impossível não existe em seu dicionário. Nos encontramos hoje na Autoral do Caiubi? Tô sabendo que vem a Sampa. Rui

    ResponderExcluir
  2. Recebei a recomendação... Vim correndo. Belo desabafo... E... Querida! Azar de quem não quer sonhar com você.Não sabe o que vai perder. Amei o texto.

    ResponderExcluir
  3. Você sempre foi " senhora de si",infeliz de quem não entendeu isso. Em sua vida não cabe a palavra covardia. Sou seu fã. Já disse isso? Pedro Arroxelas

    ResponderExcluir
  4. Amo esse seu jeito de mataforizar... Adorei o "voo"...rs... Essas suas mensagens subliminares provam e aprovam sua inteligência singular... Ah!!! Li também o texto " Fumaça". Gosto dessas metáforas, ou desses sinônimos " camuflados" de fatos. E amo tudo em você. Rô.

    ResponderExcluir
  5. Fernando Chocolate1 de agosto de 2011 07:59

    Lindo... Lindinha. O jeito Aline Romariz de ser é ímpar. Quem dera,ah! quem dera. Poder tê-la junto a mim.

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline,
    é bom demais poder ser senhora de si; nem todos conseguem esse privilégio.
    Abs.
    Eunice R. de Pontes

    ResponderExcluir

O PORTAL DO POETA BRASILEIRO AGRADECE SEU COMENTÁRIO!