terça-feira, 24 de abril de 2012



Dalva Saudo > ANALOGIA

RESUMO >  FRAGMENTO DE UM TEMPO PASSADO, RECORDADO EM FORMA POÉTICA NO TEMPO PRESENTE


          Quando penso nas montanhas
          Logo me veem à mente, idéias de:
          Força e estabilidade.
          Era o que sentia em ti.

          Impressionavas-me com tua grandiosidade.
          Tranquilizávas-me com tua paz!
           
          Ficavas isolado, calado como as montanhas.
          Entre nuvens e nevoeiros.
          Eu afora, a água vertente... dependente de ti,
          Com som ritmado como os versos  que faço agora!

          Tu eras meu santuário. Dependíamos da chuva
          Ela cessou. Tu partiste. Eu sequei.
          Fiquei sem meu habitat.

          Não me surpreenderia
          Se soubesse que retornaste às montanhas
          Admirando deslumbrantes cataratas, belos lagos
          Tentando me encontrar como fazias no mar.

          Assim como o sol penetra entre as árvores,
          Gostavas de sentir o silêncio
          E a paz da natureza envolvendo-te
          Porque era assim que gostavas de viver!

          Se soubesse que na montanha voltarias...
          Com certeza a escalaria para te reencontrar
          E novamente te amar um dia!
       

2 comentários:

  1. Dalva, meus parabéns pela linda poesia.
    Um grande abs.
    Eunice Rodrigues de Pontes

    ResponderExcluir

O PORTAL DO POETA BRASILEIRO AGRADECE SEU COMENTÁRIO!